Mal-Caráter, Capítulo 14

- Ta, mas é só uma viagem néh? Você volta depois? Tipo... férias! - eu disse brincando
- Bem que eu gostaria, mas não, meu pai ganhou um cargo melhor no trabalho, você me entende - respondeu Márcia, um pouco chateada
- Claro que eu não entendo! Sabe o que eu entendo? Que você vai me deixar aqui nessa cidade sozinha! Você sabe, é minha melhor amiga, não pode, repito NÃO PODE me deixar sozinha.
- Primeiro que eu não tenho escolha, segundo que não vou te deixar sozinha, está em ótima companhia com a Cris, e você passou três meses sem mim, você é mais forte do que imagina
- Então pega suas coisas e esses seus consolos fajutos e vai embora mesmo, nem sei porque vim aqui, tem razão, três meses sem você foi moleza! - "se tivesse sido tão fácil como você acha, eu nem teria vindo aqui, idiota"

Saí de lá puta da vida, fui na casa da Cris e chorei no ombro dela. Ela se assustou muito, pois minha mãe adorava comentar que eu era tão fria que não havia chorado nem no enterro do meu irmão. Até que era verdade, mas sei lá, foi o estresse da briga que me deixou um pouco descontrolada, e não a perca da Márcia em si.

3 comentários:

xx. emy disse...

Muito, muito bom *o*
escreve mais/ empolgada. haha *-*

Juuh Nascimento disse...

Ah mas os que se revelam frios e fortes, sao os mais sensíveis qe existem.

E ca entre nos, deixar uma amiga (o) partir eh mito triste mesmo, quase impeço uma amiga de se casar por egoísmo, medo de ficar sozinha, sao anos e anos de amizade eh difícil mesmo.

*
*


Concordo com a de cima, muito bom mesmo, quero maaaaais.

Bjs loira!

Nathália. disse...

Fiquei tão empolgada que li os 14 capítulos hoje mesmo. RS. Estou interessada. Dê continuidade, e parabéns. Beijinhos!